domingo, 14 de fevereiro de 2016

Aprendendo com os erros

     Uma das principais lições que aprendi jogando videogame foi aprender com os erros. Já escrevi, em outro texto, que sou um gamer das antigas, mais precisamente da terceira geração de consoles, assim passei a infância sem saber direito o que era "salvar jogo".
      Para quem é mais novo, vale à pena explicar que, nos primórdios dos videogames os jogos, em sua maioria, não salvavam, assim se alguém queria zerar um jogo, deveria jogar horas seguidas. Somado a isso os jogos eram mais difíceis, pois, devido à capacidade limitada dos cartuchos, os jogos eram mais curtos e, para contrabalançar isso, eram mais desafiadores. Para se ter uma ideia até os jogos da Disney, que na teoria eram para crianças, eram bem difíceis, sendo o jogo de "A bela e a fera", por exemplo, um dos jogos mais difíceis da história dos games.
     Tendo isso em mente e lembrando que não era possível salvar, sempre que perdíamos eramos obrigados a começar tudo de novo. Assim pode-se imaginar que a frustração era imensa. Depois de horas jogando ter que recomeçar tudo desde o começo era muito decepcionante, mas passado esse momento de stress recomeçávamos a jogar. Com o tempo aprendíamos melhores formas de passar as fases,ou seja, aprendíamos com os erros passados e íamos melhorando.
     Com o advento do "save" a frustração diminuiu exponencialmente, mas os erros do passado ainda serviam de base para a melhora constante, seja enfrentando um chefe, passando por uma parte mais complicada ou mesmo melhorando as habilidades durante o jogo.
     Aprender com os erros é fundamental. Fazemos isso na escola, no trabalho e na vida de forma geral. Neste sentido, o videogame serve como ferramenta para aprendermos esse conceito e nos tornarmos pessoas melhores ao mesmo tempo que nos divertimos.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário