quinta-feira, 17 de março de 2016

E os jogos de tiro chegam à 6ª geração: Minha experiência

     Desde pequeno eu jogo jogos de tiro em primeira pessoa. No PC jogava Doom 1 e 2, Wolfenstein 3D e Duke Nukem 3D e mais tarde no Nintendo 64 Goldeneye 007 e Medalha de Honra no Playstation. Isso só para falar os mais famosos. Para dizer a verdade não tinha hábito de jogar nos consoles esse gênero, tirando as exceções mencionadas.
     Independentemente da plataforma, os controles eram baseados da seguinte forma: os botões para cima e para baixo, seja no direcional analógico, seja nas setas no teclado, moviam o personagem para frente e para trás, já os botões laterais só giravam o personagem, diferente de hoje que o personagem anda para o lado com comandos similares.
     A coisa mudou na sexta geração. Quando fui jogar Medal of Honor no PS2 quebrei a cara. Socorro. Os controles eram bem diferentes. Hoje é o padrão nos jogos: Um direcional controla os movimentos e outro a câmera/ mira. Na época foi difícil de se acostumar.
     Esse sistema me lembrava um jogo PC chamado cyclone, se eu não me engano, em que a movimentação do personagem era feita com as setas e a mira com outros botões, ou vice-versa. Na época eu era pequeno e, depois de jogar, ou melhor tentar, por uns minutos abandonei o jogo e  fui jogar outro. Era CD com vários jogos, muitos sendo demos, por isso segui em frente.
     Já no PS2 não utilizei esse artifício e segui aos trancos e aos barrancos até conseguir. Deu certo. Sendo bem sincero não lembro muito do que eu achei do jogo, mas esse choque com a mudança de controles eu nunca esqueci.
      Saudações gamers

Nenhum comentário:

Postar um comentário