terça-feira, 15 de março de 2016

Ni No Kuni- Wrath of the White Witch: Minha História

     Há mais ou menos um ano eu estava procurando jogos de RPG para jogar no PS3 e perguntei para o BRKsEDU via Twitter, já que sei que ele gosta deste gênero, o que ele sugeria e ele respondeu assim: "Ni no Kuni com certeza". Eu conhecia o jogo pelo vídeo do Zangado que eu tinha assistido um tempo antes. Era um vídeo que eu vi sem compromisso e, depois dele, já tinha ficado com aquela vontade de jogar. Então assim que foi possível consegui o jogo, isso ocorreu no final do ano passado.
     O jogo é ótimo e recomendado para aqueles que gostam do gênero. Para os que não conhecem, vejam o vídeo do Zangado postado aqui na nossa Gamerpedia.
     A primeira coisa que me chamou atenção foi a escolha de level, pois existem duas opções com dizeres como esses: Normal, preferível para aqueles que focam na história e Hard, para aqueles que preferem maiores desafios nos combates. Achei isso sensacional, pois é algo que eu acredito e que, por sinal, é uma ótima ideia para um futuro texto. Em todo caso achei interessante esse cuidado com os jogadores em explicar não só pela experiência no tipo de jogo e sim nas características dos jogadores.
     O jogo demora um pouco para engrenar, já que no início são mais animações, mas depois vicia. Me lembra um pouco começar um livro, em que a introdução é meio parada, mas depois faz com que devoremos a obra.
     Realmente é uma obra muito caprichada, com belíssimas animações, uma ótima história e muitas lições pessoais a serem aprendidas como dedicação e amizade, para só citar algumas. Sem contar a riqueza de detalhes em toda a trama.
     Durante o vídeo do Zangado, ele diz que chamava os avatares de pokemons. O pior que isso ficou na minha mente, sendo que muitas vezes eu os chamava sem querer de pokemons, antes de me corrigir e chamá-los de avatares. Lógico que existe uma semelhança, e muito provavelmente, uma influência, mas isso não tira o brilho do jogo, de modo algum.
     Falando nos avatares, a busca por todos aumenta muito o tempo do jogo e isso somado com as missões secundárias, a busca por todos os ingredientes e a consequente mistura deles pela alquimia, sem contar os tesouros escondidos e, logico, o modo história, geraram, no meu caso uma diversão de mais de 160 horas. Com certeza paga o preço do jogo. Mas, caso você não curta realizar essa busca e quiser focar só no modo história, fique tranquilo que o tempo é bem menor.
     Ni No Kuni- Wrath of the White Witch é um jogo que só conheci e joguei graças a dois youtubers. Apesar de não ter tido tanta publicidade é um título excelente, que eu recomendo para quem gosta de RPGs e do qual me tornei fã. Foi um jogo que me propiciou muitas horas de diversão, alem de reflexões e apreciação tanto visual como auditiva, devido a beleza das animações e das músicas, sem contar a trama bem contada. Realmente uma obra que fez história.
     Saudações gamers
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário