quinta-feira, 21 de abril de 2016

Quando joguei Os Cavaleiros do Zodíaco

     Vou falar hoje sobre um dos meus animes preferidos, e olha que a lista de grandes animes, as animações japonesas, é bem grande. Os Cavaleiros do Zodíaco foram um marco na minha geração e, de certa forma, abriu as portas para o sucesso dos animes no Brasil.
     Na minha infância não existia TV paga, e os desenhos, o único interesse televisivo de uma criança, pelo menos era assim comigo, só passavam de manhã e como eu estava na escola neste horário ficava impossível, com exceção das férias, assisti-los. Porém, sendo uma criança persistente procurava nos canais até encontra alguma coisa que eu pudesse assistir no período da tarde. Com o tempo fiz algumas descobertas, entre elas o canal que passava muitas coisas que eu gostava, a saudosa TV Manchete.
     Foi lá que conhecemos Os Cavaleiros do Zodíaco. O esquema era assim: assistir o episódio e, no dia seguinte, comentar na escola. A febre começou. Era o desenho, os bonecos, que vinham com armaduras de metal, um grande diferencial, e que eram caros demais, álbum de figurinha, o primeiro que tive em que os cromos não vinham com adesivo, filme no cinema, revistas Herói, etc. A minha geração praticamente divulgou o horóscopo no Brasil. Todos sabiam a ordem do zodíaco, graças as Doze Casas. Resumindo: foi um sucesso, apesar da crítica das mães que diziam que "escorria sangue da tela". Sabe de nada inocente.
     Apesar da crítica quanto a violência, meus colegas da escola, aqueles que participavam das discussões, estão todos formados, trabalhando e com um pensamento crítico desenvolvido, ou seja, sem má influência do anime nem dos jogos.
     Por incrível que pareça, Os Cavaleiros do Zodíaco demoraram para entrarem no mundo dos jogos. A primeira vez que joguei um game da série foi um RPG para o PC que veio em um CD com vários jogos. Isso uns dez anos depois da febre de CDZ. Como fã, joguei. Era referente à saga de Asgard. Eu ia explorando o território com o Seiya, participando de lutas por turno contra o exército de Hilda, algo que, se não me engano, não tem no anime, até encontrar um Guerreiro Deus. Derrotado o inimigo, seguia em frente, até derrotar todos, encontrando os demais cavaleiros de bronze, ganhando level com os combates e aprendendo novas técnicas. Era muito divertido, apesar de eu ser suspeito, já que curto o gênero de RPG e o anime.
     O outro jogo que joguei foi no PS2, se não me engano, referente à saga das doze casas, a minha favorita e de todos que eu conheço até o momento. Era um jogo de luta, seguindo a ordem dos combates conforme o anime. Era bem legal. Algo que me chamou atenção é que, quando perdíamos, aparecia uma tela com a Saori, orando por nós e devíamos apertar todos os botões de modo a ressuscitar o nosso cavaleiro. A primeira vez era fácil, a segunda exigia mais intensidade, o que quase nos forçava a ter um colapso nervoso. É sério, a coisa era tensa. A terceira era praticamente impossível. Acho que consegui uma vez.
     Alguns jogos foram lançados para o PS3 e PS4, mas ainda não tive a possibilidade de jogá-los. Quem sabe no futuro. Seja como for Os Cavaleiros do Zodíaco foi um marco na minha vida, para toda a minha geração e vem ganhando novos fãs desde então. 
     Saudações gamers
     
     
___________________________________________________________________

Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Agradecemos o apoio e a confiança
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário