sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A organização da BGS 2016: divisão dos estandes

     A BGS deste ano de 2016 estava organizada por setores, por assim dizer. Cada parte do centro de exposição estava dedicada a algo específico. Assim todas as lojas, também conhecidas como "momento de perdição" ou "é agora que vou falir", estavam na mesma área. Da mesma forma tínhamos uma grande praça de alimentação no fundo, isso bem comum em grande eventos, uma área para os jogos indies, com várias empresas, o que achei muito bom, em uma outra ponta estava a área das mídias sociais, uma parte para exposições, por assim dizer, com arcades e consoles antigos, uma parte business, que será tratada em um texto específico, o espaço de competição e, claro, os estandes das gigantes do setor. Era como um jogo de Tetris, onde várias peças de várias formas e tamanhos estavam conectadas.
     O lado bom era que ficava muito fácil se localizar, sem contar que otimizava o tempo, assim, se você queria fazer compras era ir para a região com as lojas, para jogar os novos títulos, nas grandes empresas e assim por diante. O lado ruim, por assim dizer, era que não havia uma conexão, uma mistura, quase como se tivéssemos paredes invisíveis entre cada setor.
    Tivemos uma boa variedade de opções, com várias lojas, empresas de jogos indies, opções de comida. O que poderia ter mais, na minha opinião, são as grandes empresas. Pensando em consoles é claro que a Nintendo faz falta. Já em termos de jogos, mais empresas poderiam ter seu espaço próprio, com mais opções de games, esse que foi bom, apesar de tudo, de forma a marcar presença e ter esse contato com os fãs. Algumas empresas não vieram, já outras fizeram uma divisão de estande, como a Capcom/ Warner/ EA Sports. Entendo que existem parcerias de distribuição de jogos entre as empresas, mas, como fã, gostaria de ver um espaço para cada.
     Imagino que ter um estande na BGS deva ser muito caro, desinteressando as empresas. Quanto a isso cabe uma crítica ao evento. Ao abaixar um pouco esse valor, imagino que mais empresas viriam, fomentando assim a cultura e deixando o evento mais prestigiado, não só entre nós, mas mundialmente falando. É como um torneio de futebol: uma coisa é ter alguns times fortes, outro é contar com todos os melhores times, jogadores técnicos, etc. Além disso, com um custo menor, quem sabe os estande não fossem maiores, com mais máquinas rodando os jogos e, consequentemente, menos filas, ou mesmo  ainda mais opções de jogos.
     Uma crítica que ouvi foi ao fato de Sony e Microsoft estarem localizadas no meio do evento e não na frente. Não sei se concordo com isso. Gostaria de ouvir as opiniões das empresas e do evento antes de formular uma opinião mais concreta e não um achismo sem embasamento.
     A BGS como um todo, na minha opinião foi ótima, mas como administrador que sempre busca melhorar a eficiência e a eficácia, além de fã de jogos, acredito que temos alguns pontos para melhorar e tornar a feira ainda mais incrível, com maior público, mais conforto para este, mais atrativa para as empresas e assim por diante. Somos adeptos da melhora contínua e da boa prestação de serviços e, por isso, sempre buscamos nos melhorar e incentivar os demais a fazerem o mesmo. 
     Saudações gamers
______________________________________________________________________

Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Agradecemos o apoio e a confiança
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário