segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Programas policiais X Videogames

     Todos os dias podemos assistir na TV aberta programas policiais, aqueles em que é possível conhecer histórias reais de crimes, pessoas que foram assaltadas, novos tipos de golpe; só coisa leve. Apesar de muitos destes criticarem os games não é este o ponto do texto, pelo menos não diretamente.
     Neste tipo de programa somos bombardeados com notícias sobre sequestros, pais que matam filhos, filhos que matam os pais, vídeos de pessoas sofrendo assalto, alguns de reação de vítimas que matam o ladrão e assim por diante. Sendo bem sincero, não consigo assistir estes programas. É deprimente e chocante, com violência explícita. Não tenho problemas em assistir filmes como Jogos Mortais ou jogar God of War e Mortal Kombat e demais jogos e filmes com muita violência, por um simples motivo. É FICÇÃO. Agora, no caso deste tipo de programa televisivo, é tudo real, o lado horrível do ser humano, fazendo monstruosidades com outras pessoas. É por isso que não consigo assisti-los.
     Já vi que, uma das razões para estas atrações obterem audiência é que muitos espectadores querem exorcizar esses medos, pois ao assistir crimes na TV a pessoa se sente melhor consigo mesma e com sua vida, como se o mal saísse de seu corpo e fosse absorvido pela televisão. Por outro lado, no documentário Tiros em Columbine de Michael Moore, muito recomendado por sinal, é mostrado como funciona a indústria do medo, sendo programas como COPS, uma importante ferramenta neste sentido. Com base nisso, será que os demônios pessoais são mesmo exorcizados ao assistir esses programas? 
     Eu, como a grande maioria da população mundial, diria 99, alguma coisa por cento, sabe a diferença entre realidade e ficção. Para estas pessoas, assistir um filme, ler um livro, jogar videogame,  assistir uma peça de teatro, etc. não estimula a violência, não induz as pessoas a cometerem crimes. Algumas destas, por sinal, gostam de assistir filmes com cenas com muito sangue, ou ler sobre um serial killer, mas isso porque sabem que é algo ficcional, que por mais terrível que seja a cena, seja na tela, seja na imaginação, tal coisa não existe, é algo inventado. Normalmente tais pessoas ficam até arrepiadas ao ver tamanha crueldade, mas, ao se lembrar que não é real a história continua fluindo. Por outro lado, ao ver programas policiais, tal mecanismo de defesa não funciona, pois está acontecendo de verdade, infelizmente. 
     Agora uma pergunta: salvo aquela minúscula porcentagem que não consegue distinguir realidade da ficção, qual forma de entretenimento é mais propícia a induzir a violência, o medo e a insegurança: aquele que mostra os crimes reais ou as obras de ficção?
     Saudações gamers
______________________________________________________________________

Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Agradecemos o apoio e a confiança
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +
E não se esqueça de prestigiar os nossos parceiros. É só clicar em um dos banners aqui no nosso site, assim TODO MUNDO sai ganhando. É rápido e prático.

Nenhum comentário:

Postar um comentário