segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Opiniões diferentes. Só isso.

     Uma das grandes conquistas da democracia é o direito a liberdade de expressão. Cada vez fica mais fácil dizer o que você pensa, seja pessoalmente, pelas redes sociais e demais meios de comunicação. Obviamente são necessárias regras para nortear tudo isso, pois é preciso responsabilidade para arcar com suas escolhas. Como diria o tio Ben: "com grandes poderes vem grandes responsabilidades". Até aí tudo bem, o problema é que, na sociedade de extremos em que vivemos uma frase ou opinião diferente não é vista como uma opinião em si, mas uma definidora de caráter e base para julgamento de uma pessoa. Se uma pessoa diz que vota no partido tal, por exemplo, é vista de uma forma e todo o resto que ela faz é cancelada, esquecida só por esta opinião. Assim relacionamentos são desfeitos, sentimentos de ódio criados por uma única frase. O ser humano é mais complexo que isso. Estamos em uma fase tão delicada que, se uma pessoa fala que determinado jogador é o segundo melhor da história do futebol depois do Pelé e a outra discorda eles já brigam. É tão difícil assim dizer algo como: "Legal, temos opiniões diferentes" e seguir adiante?
     No mundo dos games, infelizmente, também sofremos deste mal. Quando alguém fala que prefere o console A, já é taxado como fanático pela marca, gerando brigas com pessoas que gostam da marca B, além de ser taxado como bom ou mal jogador e semelhantes. Gente, ele só falou que prefere um.
     Se uma pessoa fala que fez administração, já é taxado como burguês, elitista, contra o povo, por alguns socialistas, sendo o inverso também valido. E se ele tem um plano que melhore a vida dos outros? E se estudou para montar uma ONG? Nada disso importa. Da mesma forma, ao dizer apenas o que estudou, já é taxado em todos os aspectos da vida. Resumindo: preconceito.
     Não é por que a pessoa tem opiniões diferentes que ela não presta e sim que ela pensa de outra forma apenas. Vamos parar de tentar simplificar o ser humano a uma simples resposta. Não importa se a pessoa vota em determinado partido, prefere determinado jogo ou console, acredita em uma fé específica, estudou em uma faculdade específica, torce para determinado time e assim por diante. Você pode não gostar de uma pessoa, mas que seja pelo conjunto de opiniões, valores e práticas e não uma específica. Admiro pessoas que pensam de forma diferente. Posso não concordar em certas coisas com eles, mas em muitas outras estou de acordo, principalmente na ética, na forma de pensar, nas conquistas proporcionadas por sua obra e assim por diante. Resumindo o saldo é positivo. Se, por outro lado fosse negativo, ele não teria a minha admiração, apesar de que não poderia cair na injustiça de não ver suas qualidades, mesmo que estas sejam usadas para um propósito nefasto. Lord Voldemort é mal e terrível, porém é inegavelmente um grande bruxo.
     É direito de todos ter sua própria opinião, mesmo que polêmica, desde que respeitando os outros e o direito de discordarem dele. Uma opinião não define uma pessoa. Um ser complexo como o homem não se resume a uma frase ou pensamento, já uma opinião é apenas isso.
     Saudações gamers
__________________________________________________________________
     A NGC quer saber sua opinião. Ela é importante para nós. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Juntos somos mais fortes.
     E não se esqueça de prestigiar os nossos parceiros. É só clicar em um dos banners aqui no nosso site, assim TODO MUNDO sai ganhando. É rápido e prático.
     
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário