sábado, 28 de janeiro de 2017

Pichação VS grafite

     A internet, nos últimos dias, tem mostrado milhares de opiniões, notícias, críticas, apoios e muito mais sobre a campanha do novo prefeito de São Paulo contra a pichação. Porém muitos não sabem, e pelo jeito nem a própria prefeitura, a diferença entre pichação e grafite, o que tem gerado muita confusão e, como tudo relacionado a política brasileira hoje em dia, muita briga. Então decidi escrever este texto dando a minha opinião e fazendo algumas críticas.
     Pichação, e não grafite, é um ato de vandalismo, onde um patrimônio, seja público, seja privado, é pintado, normalmente com tinta spray. Por outro lado o grafite é uma forma de arte e, como tal, além de estar relacionada com a captação pelos órgãos sensoriais, tem a função de passar uma mensagem, uma visão de mundo, uma crítica, uma opinião. Como todas as demais formas de arte existem pessoas que gostam e outras que não, portanto depende do gosto. Porém, da mesma forma que uma pessoa pode não gostar de um quadro de Picasso, Braque ou Mondrian por seu caráter mais abstrato e por não representar a realidade como a vemos ou de qualquer outro estilo de arte por algum motivo pessoal, ela não pode negar que é uma forma de arte. Com o grafite ocorre o mesmo. 
     Além do fator arte, temos também a questão legal. Para um grafiteiro pintar uma parede ele precisa de permissão do dono do imóvel, ou seja, há um acordo entre as duas partes, da mesma forma que Michelangelo teve com o Vaticano para pintar o teto da Capela Sistina. Ele não simplesmente chegou e disse " está muito branco, vou pintar este teto" ocorreu um contrato entre as partes. Já a pichação é feita sem esta parte, ou seja, o vândalo impõe sua vontade e denigre o patrimônio alheio, seja pintando o Monumento às Bandeiras, seja escrevendo um recado para o prefeito. 
     Feita a diferenciação entre pichação e grafite, vamos a alguns pontos que foram questionados. Um deles é que a pichação é uma forma de expressão. Por um lado é verdade, porém é feita de forma ilegal e danosa. Uma pessoa pode muito bem se expressar, mas precisa seguir a Constituição e as leis vigentes. Pode-se muito bem criar protestos pela internet, panfletos e outras formas sem denegrir o patrimônio alheio, portanto é mais uma desculpa que uma razão. Existem formas de se expressar. Se desde a antiguidade temos meios de fazer críticas, de expor nossa opinião por que hoje, com a tecnologia e com mutas possibilidades, não conseguiríamos? Livros podem ser escritos, artes divulgadas online, pinturas expostas, mas sem causar danos aos demais. Por que com pichadores seria diferente, dando o direito à estragar o que não é deles? 
     Outro ponto é o seguinte. O excesso de informação artística. Algumas pessoas gostaram outras criticaram o fato dos aros na região da liberdade que estavam grafitados serem cobertos de tinta apagando a arte. Neste caso específico eu concordo, não porque seja contra o grafite, mas porque tinha muita informação com elementos arquitetônicos e uma pintura de um estilo completamente diferente. Se pegarmos e colocarmos em uma sala criada por Gaudì a Guernica de Picasso ao fundo, junto com uma escultura de Michelangelo, uma foto do Sebastião Salgado com uma música de fundo de Mozart ao mesmo tempo que é projetada uma cena de 2001: uma odisseia no espaço enquanto se joga Mario em uma tela lateral iremos nos perder com tanta informação artística e de movimentos diferentes. O que, separadamente seria maravilhoso, junto se torna uma poluição artística, por assim dizer. Com os aros aconteceu isso, ao meu ver. Porém, ao invés de simplesmente cobrir, o certo seria copiar os grafites para outro local ou algo que o valha. Por outro lado, em relação aos viadutos da 23 de Maio este argumento não se aplica, visto que era e agora voltou a ser, apenas paredes cinzas.
     Concordo com a prefeitura em limpara as pichações que tanto estragam nossa bela cidade, mas sou totalmente contra apagar grafites. Como toda forma de arte eles precisam ser cuidados, não só fazendo manutenção, como deveria ter sido feito na avenida 23 de Maio onde alguns estavam desbotados ou cobertos de mato, e mesmo protegendo contra vandalismo ou imposição das pessoas que não respeitam esta forma de arte. O grafite e o videogame são novas formas de arte que merecem seu espaço. Como tudo, é necessário um cuidado, uma base legal, o que normalmente acontece, se não sempre, no caso dos grafites, diferenciando completamente da pichação que é um mero ato de vandalismo assim como quebrar estátuas, chutar símbolos de outras religiões, não respeitando, assim a fé do outro, estragar vidraças e assim por diante. As formas de arte devem ser elevadas ou, no mínimo respeitadas, já as formas de crime devem ser combatidas visando uma vida em sociedade melhor, com respeito às diferenças.
     Saudações gamers  
__________________________________________________________________
     A NGC quer saber sua opinião. Ela é importante para nós. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Juntos somos mais fortes.
     E não se esqueça de prestigiar os nossos parceiros. É só clicar em um dos banners aqui no nosso site, assim TODO MUNDO sai ganhando. É rápido e prático.
     
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário