quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Os games e a saúde brasileira

     É comum nos jogos de videogames termos a barra de vida, também conhecida como barra de saúde, esta que, ao zerar, representa a morte do personagem, como era de se esperar. Para evitar isso é necessário pegar remédios, kits médicos, ervas medicinais e semelhantes de modo a reenche-la para continuarmos na partida. Já comentei um pouco sobre isso no texto sobre o dia dos médicos, mas achei melhor dar uma relembrada para aqueles que porventura não conheçam Tendo isso em mente pensei o seguinte: e se os jogos se passassem no Brasil em termos de saúde? Se assim fosse teríamos duas opções.
     A primeira seria usando o sistema de saúde pública. Acha que zerou o jogo no modo hard, tenta esse. Basicamente seria assim. O personagem chega no local onde teria remédio e encontra a mensagem "não recebemos este medicamento, tente outra vez mais tarde". Claro que sendo atacado por vários inimigos e quase morrendo fica fácil esperar, não é? Outra possibilidade seria encontrar algo como "pegue a fila e espere ser chamado" então seu personagem fica esperando horas para pegar uma senha que marca o seu retorno para seis meses. Seu jogo, então fica indisponível para jogar durante este tempo, mas quando chegar a data seremos agraciados com "a máquina que você precisaria está quebrada, é necessário remarcar" e esperar mais seis meses ou "por falta de condições mínimas de trabalho para os médicos e enfermeiros, você não poderá ser atendido". Você jogaria um jogo assim?
     A segunda possibilidade seria com convênios médicos. Do nada o jogo pararia e você teria que desembolsar uma pequena fortuna de modo a manter o serviço. Se não pagar terá que usar o que foi dito no parágrafo anterior. Depois da carência, por que você não pode sair usando o que você pagou de cara, aí sim você estará coberto, ou será que não? Após ser atacado por um inimigo e estar a beira da morte, você entra em contato pedindo auxílio e então ficará horas no telefone ou semelhante até ser atendido. Na hora em que você fosse usar o remédio receberia a mensagem "o convênio não liberou, espere mais um tempo" ou quem sabe" você não tem direito a este tratamento, sentimos pelo ocorrido" e logo em seguida seu personagem morre.
     Uma opção é trapacear. Ao usar o código "político" você ganha acesso imediato aos melhores hospitais, tratamentos e remédios e o melhor de tudo, não precisa pagar nada, pois o povo faz isso para você. Claro que existe algumas condições: você precisa roubar, ter contatos, bajular as pessoas com mais tempo de casa, mentir para a população, etc. Não vale a pena.
     O pior de tudo é que, apesar do deboche deste texto, os problemas mencionados são reais. Você não jogaria um game com estas regras, não é? Então por que aceita segui-las na vida real? Já imaginou o Kratos em uma fila de espera? Não dá, ele provavelmente teria resolvido tudo de uma forma agressiva. Não precisamos chegar  a este ponto, mas devemos fazer a nossa parte, exigindo os  nossos direitos, cobrando os políticos, não aceitando a exploração dos convênios e, principalmente, não apoiar pessoas e ficar alerta para o código "político" não ser usado. Faça sua parte.
     Saudações gamers
__________________________________________________________________
     A NGC quer saber sua opinião. Ela é importante para nós. Faça seus comentários, divulgue nosso trabalho e siga-nos nas redes sociais. Ajude-nos a melhore a comunidade gamer do Brasil. Juntos somos mais fortes.
     E não se esqueça de prestigiar os nossos parceiros. É só clicar em um dos banners aqui no nosso site, assim TODO MUNDO sai ganhando. É rápido e prático.
     
  • Clique aqui para nos seguir no Twitter
  • Clique aqui para nos seguir no Facebook
  • Clique aqui para nos seguir no Google +

Nenhum comentário:

Postar um comentário